Anúncio
Google search engine
Google search engine
InícioBlogJovem CríticaJovem Crítica - Mulheres na política e a série "Intimidade"

Jovem Crítica – Mulheres na política e a série “Intimidade”

Por Wanessa Alves*

Uma nova série é lançada na Netflix, e traz consigo inúmeros questionamentos do que acontece na nossa sociedade nos dias de hoje. Não somente me refiro a esse lugar de não-privacidade que as redes sociais nos colocam, mas também a como as mulheres que decidem adentrar no universo da política são atacadas.

A protagonista “Malen Zubiri” que é representada pela atriz “Itziar Ituño” (Mais conhecida como a inspetora na série La casa de papel), está concorrendo ao cargo de prefeita na sua cidade, porém, tudo se complica quando ocorre um vazamento de um vídeo íntimo seu nas mídias sociais em plena campanha eleitoral. Um dos pontos que se observa sempre são os ataques à dignidade da mulher e esse caso descrito na série, é um perfeito exemplo disso.

Saindo um pouco da rota inicial do texto, mas ainda assim fazendo uma complementação, no Brasil, em 31 de dezembro de 1976 uma mulher chamada Ângela Diniz foi assassinada na praia dos ossos no Rio de Janeiro, pelo seu companheiro Doca Street. No dia do seu julgamento, o réu alegou que a matou para defender sua “honra”. Ângela foi apresentada como provocadora e sensual, teria atiçado outros homens e mulheres mesmo estando em um relacionamento com Doca e por isso ele teria a matado. O que aconteceu aqui foi uma desmoralização da vítima, foi colocada como indigna e como única culpada pelo seu trágico destino. O assassino teve sua tese aceita pelo juíz no tribunal e saiu pela porta da frente. Esse caso também foi ilustrado na série “Coisa mais linda”, que também está presente na Netflix.

Retornando à série “intimidade”, Malen não abaixou a sua cabeça diante toda a pressão colocada por essa sociedade hipócrita e sua falsa pregação de moral, mas nem todas as mulheres que são vítimas desse tipo de exposição é capaz de suportar todos esses ataques. Existe uma certa ilusão de que nas redes pode-se fazer e falar o que bem quer, sem consequências, todavia, hoje é crime expor fotos íntimas de outra pessoa sem a permissão da mesma, se isso acontecer com você ou com alguém próximo, denuncie.

Para finalizar, gostaria de relembrar um diálogo que Malen teve com Miren já nos últimos episódios da primeira temporada da série: “Não gostam de você pela suas propostas radicais” –Disse Miren, e Malen retruca dizendo: “Sociais! No mundo deles a mulher é uma piada, nós incomodamos, Miren.” O espaço das mulheres na política é uma conquista que considero recente, mesmo assim, ainda escontra-se muita resistência e dificuldade de enxergar o potencial intelectual das mulheres e sua capacidade de gestão. Deixo aqui a minha recomendação dessas duas séries citadas no meu texto e os convido a refletir com as colocações presentes.

*Wanessa Alves tem 19 anos, é estudante de filosofia na UERN e escreve sobre juventude, política e direitos humanos na coluna ‘Jovem Crítica’
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Comentários Recentes

- Anúnio -
Google search engine

Mais Populares

Receba notícias
NE 360
Assinar!
Não enviaremos spam. Seus dados protegidos.